Você está aqui:  / Blog Editora-Chef / Foto de Comida / Foto de comida: 10 dicas rápidas para deixar os cliques mais bonitos

Foto de comida: 10 dicas rápidas para deixar os cliques mais bonitos

FotoDeComida10dicas

Fotografar alimentos é uma habilidade cada vez mais necessária para blogueiros de comida e amantes da boa gastronomia. Com a chegada do Instagram, todo mundo quer compartilhar fotos dos seus pratos. Mas para despertar o interesse de quem as vê (ou curte!), é preciso prestar atenção no que está sendo fotografado e não apenas clicar e publicar — seja para ilustrar sua receita, divulgar um restaurante ou só para exibir suas conquistas gastronômicas.

Aliás, quem nunca reparou na discrepância entre os sanduíches do McDonald’s nas fotos publicitárias e os servidos em qualquer unidade da rede? Segundo eles próprios, os ingredientes são os mesmos e a quantidade chega a ser até menor do que as que a gente consome nas lojas. A grande diferença está na forma como o lanche é montado (com muito mais cuidado e tempo do que esperamos na fila) e no cuidado com a imagem. Veja a comparação na foto abaixo ou clique sobre a foto para assistir ao vídeo em que todo o processo é explicitado pela própria diretora de Marketing do McDonald’s Canadá.

mcdonaldsclicks

O objetivo não é obter cliques como os que aparecem nas propagandas do McDonald’s. Mas chegar o mais próximo do que seria a foto perfeita, dentro das condições que temos. E, obviamente, é necessário alguns cuidados, que listamos abaixo em 10 dicas rápidas para deixar as fotos de comida mais bonitas.

Iluminacao

1. Iluminação é essencial
A luz é simplesmente tudo na fotografia. Nos cliques de comida, então, nem se fala: como não temos como reproduzir o perfume nem o sabor, precisamos explorar ao máximo as formas, cores e texturas. Por isso, escolha um local muito bem iluminado, de preferência com luz natural, para fotografar seus pratos, seja ao lado da janela, na varanda ou no quintal. Quando em restaurantes, escolha as mesas mais iluminadas e evite fotografar alimentos à noite — uma vez que nem sempre temos rebatedores ou difusores que garantem uma boa distribuição da luz.

Flash

2. Não use flash
Iluminação é importante, mas o flash consegue destruir qualquer tentativa de uma boa imagem de comida. A luz direta acaba deixando as cores estouradas, a imagem achatada e sem profundidade, sem contar as sombras mais duras. Quando não há uma condição de luz satisfatória para os cliques, a alternativa é utilizar um foco de luz — de preferência branca e não amarela –, como uma luminária, uma lanterna ou, em último caso, a tela acesa de outro celular.

Configuracoes

3. Conheça seu equipamento
Não é o equipamento que faz um bom fotógrafo, mas obviamente que, quanto melhor for a câmera e as lentes, melhor poderá ser o trabalho. E o “poderá” entra na frase anterior pois de nada adianta você ter uma câmera profissional se não souber usá-la. Mais importante do que ter um excelente equipamento é conhecer profundamente o que tem em mãos: devore todos os manuais, pesquise na internet, leia sobre ele e faça testes, muitos testes. Como já disse no primeiro post sobre Foto de Comida, mais de 90% das fotos de comida publicadas aqui foram clicadas usando smartphones e tem alguns exemplos de que é possível, sim, conseguir ótimas fotos com estas câmeras mais simples.

Foco1

4. Mantenha o foco
Depois da luz, o foco é o item mais importante da fotografia de alimentos. O prato pode ser lindo, mas se a foto ficar embaçada ou tremida, ninguém vai conseguir perceber todos os seus detalhes. Por isso, preste muita atenção a isso. Nas câmeras semi-automáticas, geralmente acertamos o foco pressionando o botão do obturador até a metade e, depois de algum sinal sonoro ou visual, procedemos com o clique. Nas profissionais ou manuais, o ajuste de foco é feito diretamente nas lentes, girando-as de acordo com a necessidade. Nos smartphones, quase sempre há um marcador no centro da tela que indica, ao ficar verde, que o foco automático está ajustado — às vezes é necessário aproximar ou afastar a câmera do objeto para que o ajuste automático seja feito. Geralmente é possível selecionar a área da foto que deve ser focada em primeiro plano ao tocar na tela e o marcador verde indica que a seleção foi realizada. Quase todas as câmeras, das mais simples às mais sofisticadas, possuem um modo chamado “Macro”, que favorece os cliques de detalhes com melhor foco. De qualquer forma, tire diversas fotos iguais para que a chance de ter uma ótima entre elas seja melhor.

Foco

5. Quanto mais nítido, melhor
Depois da luz e do foco, vem a nitidez. O foco prejudica diretamente a nitidez da imagem, ou sua correta interpretação pelos olhos e cérebro. A qualidade da lente da câmera influi diretamente sobre este quesito, mas outros fatores também podem afetá-lo. A falta de firmeza na hora de capturar a imagem é geralmente o principal erro, por isso um tripé costuma resolver. Mesmo para os smartphones, há opções baratas de pequenos tripés que não ocupam muito espaço para serem transportados e dão conta de manter a câmera imóvel durante o clique. Outras dicas: mantenha as lentes sempre limpas (no celular é comum que fiquem engorduradas devido ao manuseio) e proteja-as de riscos. Para quem fotografa com celular, uma alternativa aos tripés é segurá-lo com as duas mãos e os cotovelos apoiados na mesa, além de prender a respiração no momento do clique — esta é a minha técnica. 😉

Enquadramento

6. Escolha o melhor enquadramento
O objetivo do clique é mostrar o alimento, mantenha isso sempre em mente. O foco principal está no prato ou então no item principal (na carne, no pedaço de bolo ou até mesmo na garrafa do vinho que está sendo servido e será o objeto da foto). Talheres, guardanapos, toalhas ou jogos americanos, copos ou taças com bebidas, cardápios, acompanhamentos ou alguns ingredientes utilizados na produção da receita podem complementar a foto — mas devem ser complementos. Analise o que está em volta do principal e elimine o excesso para não poluir a imagem (guardanapos usados, alças de bolsas, o cantinho do cardápio, a tampinha da água etc.). Preste atenção também no que vai aparecer no fundo da imagem: outro dia vi a foto de uma garrafa de cerveja encaixada no decote da moça que estava sentada de frente para o fotógrafo e ficou estranho — tente ao máximo evitar esse tipo de situação.

Enquadramento1

8. Observe o prato antes de clicá-lo
Em alguns bons restaurantes os garçons costumam colocar o prato na mesa já no seu melhor ângulo e geralmente ele vem perfeitamente arrumado. Em alguns lugares, os pratos chegam meio desengonçados, digamos assim. Para que a foto fique realmente apetitosa, vale a pena limpar aquele pinguinho de molho ou do caldinho do feijão que caiu na borda, ajeitar as batatas fritas que estão fugindo do prato e até abrir um pouquinho o sanduíche para mostrar também o recheio. Todas estas observações valem também para quando estamos montando os nossos próprios pratos, em casa. Além disso, o que mais contribui para fotos de comida harmoniosas é a observação de fotos com outros empratamentos, seja em restaurantes (os cardápios com fotos são sempre ótimas inspirações), em revistas ou livros, em programas de culinária, em sites e blogs. Sempre há alguma fonte de inspiração.

Edição

9. Aprenda o básico de edição de fotografia
Além de saber fotografar, saber um pouquinho sobre edição de fotografia não faz mal nenhum — muito pelo contrário. Principalmente quem depende do sol e de São Pedro para obter uma ótima iluminação, um ou outro truquezinho do Photoshop ajudam e muito. Com ele, é possível recortar o enquadramento, ajustar a iluminação e o contraste da imagem, por exemplo, e aumentar a nitidez da foto. Não é preciso ser um expert também para corrigir uma pequena falha, como aquele pinguinho de molho que acabou passando na inspeção física ou então um reflexo indesejado na louça.

Filtros

10. Evite muitos filtros e efeitos
Apesar de recomendar fortemente a edição dos arquivos de fotografia, o uso excessivo de aplicativos com filtros e efeitos (principalmente os apps para smartphones) pode comprometer justamente os itens mais importantes para uma boa foto: pontos estourados (muito claros), sombras muito duras, contraste exagerado, perda da textura dos alimentos, cores irreais etc. Lembre-se de que comida precisa parecer comida para ser apetitosa.

É aquariana, curiosa, jornalista e tem uma infinidade de interesses — entre eles, a culinária. Não é chef (nem pretende ser) mas a necessidade de morar sozinha a fez experimentar a alquimia das panelas e descobrir que o fogão não é um bicho de quatro bocas.

4 Comentários

  • Lylia

    /

    Ótimo essas dicas, Luciana! Eu sou uma “fotógrafa” atrapalhada, mas quero muito aprender e suas dicas, com certeza, vão me ajudar nas próximas fotos.
    Bj,
    Lylia

  • Luciana Carpinelli

    /

    Oi, Lylia!
    Fico feliz em te receber aqui e mais ainda em saber que minhas dicas serão úteis para você. 🙂
    Beijo grande e volte semore

  • Thaynara

    /

    Obrigada por compartilhar, com certeza as dicas serão úteis!

  • Luciana Carpinelli

    /

    Thaynara, este é o objetivo: compartilhar.
    Fico feliz por ajudar para que você continue compatilhando cada vez mais fotos lindas!
    Beijo e volte sempre 🙂

DEIXE UM COMENTÁRIO

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados ( obrigatório )

4 − 1 =

Categorias

Arquivos



mytaste.com.br


Acompanhe nosso instagram