Você está aqui:  / Dicas da Nutri / 5 produtos para tirar da listinha do mercado

5 produtos para tirar da listinha do mercado

Como nutricionista, um dos nossos papéis principais é orientar o consumo de alimentos frescos, in natura e, sempre que possível, orgânicos e que respeitem a safra da época. Porém, muitas vezes, nos vemos reféns de industrializados que podem nos fornecer praticidade momentânea.

Nem todo produto alimentício industrializado é ruim. O problema é que hoje somos bombardeados por propagandas, cores, símbolos e sinais (muitas vezes implícitos) que nos confundem. Perdi as contas de quantas vezes fui ao mercado e me vi perdida, mesmo sendo nutricionista e tendo algum conhecimento a respeito. As informações são tantas, muitas vezes passadas de uma forma distorcida, dificultando a nossa liberdade de fazer escolhas conscientes e ativando nosso modo mais intuitivo.

Pois bem, para te ajudar nas suas escolhas, o post de hoje vai te mostrar o que você já pode tirar de vez da sua listinha de compras!

 

1. Caldo em tablete

Hoje em dia quase todo mundo sabe que o “tabletinho” para cozinhar não é a melhor opção. Mas você sabe o por quê?

Além da quantidade exorbitante de sal (presente como primeiro ingrediente da lista, o que indica que é o ingrediente em maior quantidade), esse tipo de produto alimentício utiliza inúmeros compostos extremamente artificiais. Um bom exemplo é a gordura vegetal, que vem logo em segundo lugar na lista de ingredientes. Esse tipo de gordura é naturalmente líquida e, por meio de processos químicos, ela se torna sólida. O grande problema disso é que, a partir da adição de hidrogênio (daí o nome Gordura Vegetal Hidrogenada), ela se torna incrivelmente nociva à saúde, sendo até possível precursora de gorduras trans. A questão é que essa matéria prima é muito barata, e reduz o custo dos produtos. Então a indústria, claro, usa e abusa dela (que vai aparecer em outros produtos dessa lista).

Dois outros compostos adicionados no tablete de caldo fazem parte da classe de realçadores (ou intensificadores) de sabor. São eles o glutamato monossódico e o inosinato de sódio. Sem contar a quantidade a mais de sódio, além do próprio sal, esses ingredientes ativam certos receptores na nossa boca que fazem com que a gente crie um vício com aquela sensação. Ou seja, nosso paladar fica bagunçado e só conseguimos reconhecer este determinado sabor quando consumimos produtos com esses realçadores, ou seja, os industrializados.

Por último, mas não menos importante, o Caramelo IV. Utilizado como corante, esse ingrediente já vem sendo indicado em diversos estudos como potencial agente cancerígeno quando consumido em excesso. Tá, aí você pensa: mas eu não consumo em excesso, é só um pouquinho que tem nesse tabletinho (afinal, ele um dos últimos na lista dos ingredientes, indicando que, realmente, está em menor quantidade). Bem, na verdade, o Caramelo IV está presente EM QUASE TODOS os produtos alimentícios industrializados (alguns vão aparecer ainda nesse post). Inclusive naquele refrigerante de cor escura que “abre a felicidade”.

Dica para deixar a vida mais prática: quando usar legumes, guarde no congelador as pontas e rebarbas. Quando juntar uma boa quantidade, prepare o Caldo caseiro (clique AQUI para acessar a receita completa).  Você pode congelar em forminhas de gelo e retirar apenas a quantidade necessária quando for usar. Outra opção é adotar o Tablete de caldo de legumes saudável, também fácil de fazer e prático de usar.

 

2. Kani Kama

Já vi muita gente achando que esses bastõezinhos de peixe eram saudáveis e tinham poucas calorias. Eu também já fui dessas. Mas basta ler atentamente o rótulo pra ver que não é bem assim.

Primeiramente, o tal do surimi, presente como principal ingrediente, nada mais é do que uma mistureba de carne de peixe que, de tão processada, vira uma pasta sem cor, sem sabor e sem cheiro. Portanto, é necessário acrescentar corantes, realçadores de sabor e aromas artificiais, além de água, açúcar, adoçante, clara de ovo, óleos e conservantes. Na maioria dos produtos, a lista de ingredientes do surimi não aparece completa. Então, além do surimi, temos mais gorduras (como óleo vegetal), xarope de glucose e açúcar invertido (que são açúcares em diferentes formas, utilizados para encorpar o produto e deixá-lo com prazo de validade maior) e mais glutamato monossódico (assim como o caldo de carne). O fato de ter poucas calorias não parece muito vantajoso agora, né?

Dica para deixar a vida mais prática: dê preferência à sardinha em lata com molho de tomate ou ao atum em água. São opções de peixes muito mais saudáveis e igualmente práticas.

 

3. Néctar de frutas

Quando pergunto para as pessoas o motivo pelo qual elas compram sucos de caixinha e não as frutas frescas, elas respondem: praticidade. Ok. Só que, o real negócio é que você não está comprando suco. Quando olhamos a lista dos ingredientes, os primeiros que aparecem são água e açúcar. Depois vem suco concentrado, conservante e aromatizante. Basta fazer as contas para ver que a coisa que menos vale aí é a fruta em si. Concluindo, não vale a pena.

Dica para deixar a vida mais prática: compre frutas frescas, higienize-as e corte-as em pedaços. Congele-as em saquinhos plásticos separando as porções. Na hora de consumir é só bater com um pouquinho de água no liquidificador e você terá um suco fresco e saudável.

 

4. Pó para bebida zero açúcar

O “zero açúcar” no nome já faz você acreditar que vai atingir o corpo dos seus sonhos bebendo esse pózinho.

Vamos lá, analisando a lista dos ingredientes você dá de cara com a maltodextrina, que é muito utilizada em produtos em pó, para facilitar na hora de dissolver. O problema é que ela não deixa de ser um tipo de açúcar disfarçado. Para deixar o sabor ainda mais doce e viciante, o aspartame é amplamente utilizado pela indústria por ter baixo custo. Aí o custo real fica por nossa conta: o aspartame é um adoçante artificial que vem sendo apontado como um agente neurotóxico, ou seja, que produz toxinas no nosso corpo que vão direto para o cérebro. Fica a dica: tudo que contém aspartame, não consuma.

E, só pra fechar com chave de ouro essa lista de ingredientes maravilhosa, o Caramelo IV vem nos dar o ar da graça. Ou seja, você leva pra casa um falso zero açúcar e uma péssima escolha.

Dica para deixar a vida mais prática: siga a dica acima.

 

5. Sopa em pó

Assim como no suco em pó, a sopa em pó também leva como primeiro ingrediente a maltodextrina. O grande problema desse açúcar disfarçado é que acabamos perdendo a conta do quanto de açúcar que estamos consumindo de fato. Isso porque, muitas vezes, encontramos açúcar em diversas formas presentes em uma mesma lista de ingredientes, como é o caso dessa sopa, que também contém o açúcar refinado.

Como citamos no primeiro produto dessa lista, a gordura vegetal também está aqui, assim como os realçadores de sabor (glutamato monossódico, inosinato de sódio e guanilato dissódico), além do nosso querido Corante Caramelo IV. No final das contas, estamos consumindo uma sopa de química, não é mesmo?

Dica para deixar a vida mais prática: opte por sopas tão práticas quanto saudáveis como o Creme de mandioquinha com cenoura, a Sopa cremosa de ervilhas e o Macarrão instantâneo supersaudável (que fica pronto em 5 minutinhos!). Ou então acesse o arquivo de Sopas, cremes e caldos para conferir outras receitas fáceis.

* * *

Espero que tenham gostado dessa análise, um pouco chocante, concordo, mas que não deixa de ser importante para começarmos a nos informar mais sobre o que consumimos. Vamos ser mais curiosos, vamos abrir os olhos!

Para quem se interessa pelo tema e tem acesso fácil a São Paulo, estarei no dia 24 de julho de 2017 na Leve Escola (Rua Mourato Coelho, 1017) para o segundo Encontro com a Nutri. Para saber mais, acesse o evento no Facebook com todas as informações: Lendo rótulos e fazendo escolhas saudáveis.

.

Raquel Labonia
é uma nutricionista completamente apaixonada pelo que faz e com intensa e incansável vontade de fazer a diferença no mundo. Motivada por essa inquietude, em 2015 criou a WellMove (abreviação de Wellness Movement), que representa um Movimento Pelo Bem-Estar em seu sentido mais amplo. Estar bem é a harmonia entre o nosso físico, mental e também o ambiente em que vivemos. Hoje, a WellMove se tornou uma Consultoria em Nutrição e Bem-Estar atuante em diversas áreas, que trabalha com projetos de qualidade de vida, sustentabilidade, comunicação e marketing nutricional e consultas particulares em consultório.

Categorias

Arquivos



mytaste.com.br


Acompanhe nosso instagram

%d blogueiros gostam disto: