Você está aqui:  / Segunda Sem Carne / Tortas e quiches / Vegetariana / Torta ou empadão de palmito

Torta ou empadão de palmito

Quem me acompanha há algum tempo já sabe que não posso ir embora de Santos sem fazer alguns pratos “obrigatórios” para meus avós, como o estrogonofe de frango, o macarrão à carbonara, o risoto de camarão. E esta torta ou empadão de palmito também faz parte dos cardápios obrigatórios quando passo uns dias em Santos com meus avós.

Toda vez que posto a foto no Instagram (já segue o @cozinhandopara2ou1 lá?), chovem pedidos de receita. E não é que, apesar de eu fazer esta torta com certa frequência, eu ainda não tinha publicado a receita aqui?

Pois agora tiro a pendência da listinha e entrego aqui todos os segredos desta delícia. Se eu fosse você não demorava tanto quanto eu demorei para postar para experimentar também!

Torta ou empadão de palmito

Para a massa da torta ou empadão de palmito:
1 xícara de farinha de trigo (pode ser integral ou de arroz, por exemplo)
1/2 xícara de maisena
1/4 xícara de óleo vegetal ou azeite
1/4 xícara de leite ou água + o necessário para atingir o ponto
1 colher de sopa de queijo ralado
1 colher de sobremesa de fermento em pó
1 colher de chá de sal
1 gema para pincelar

Para o recheio da torta ou empadão de palmito:
1 colher de sopa de manteiga
1 colher de sopa de tempero caseiro completo (clique AQUI para acessar a receita completa)
200g. de palmito em conserva
1/4 de xícara de água
1 colher de sopa de extrato de tomate
1/2 xícara de requeijão ou creme de ricota
8 a 10 azeitonas sem caroço (opcional)
1 colher de sopa de farinha de trigo (ou de arroz)
Azeite, sal e pimenta do reino a vontade

Em uma tigela, misture bem a farinha de trigo com a maisena e acrescente os demais ingredientes. Vá amassando com as mãos até obter uma farofa.

Aos poucos, vá pingando leite ou água e continue amassando até quase obter uma massa quase única — intercale o líquido com uma boa amassada. Despeje e a massa sobre a pia ou uma superfície limpa e vá juntando tudo sem acrescentar mais leite até formar uma bola.

Com as mãos, vá abrindo a massa sobre uma forma de 20cm. de diâmetro com fundo removível, reservando mais ou menos 1/3 da massa para a cobertura. Eu gosto de nivelar as bordas: para isso pressiono a ponta de uma colher na lateral da forma, deixando mais ou menos 2cm. de altura, e vou girando a forma para que a lateral fique mais retinha.

Retire as rebarbas, fure algumas vezes o fundo da torta com um garfo e leve ao forno preaquecido em 180ºC por 15 minutos.

Enquanto isso, aqueça uma panela e derreta a manteiga para refogar o tempero completo por cerca de 3 minutos em fogo baixo. Escorra o palmito, enxague com água corrente e corte-o em pedaços. Adicione à panela, mexa e deixe refogar por mais uns 3 minutinhos.

Junte a água, o extrato de tomate, misture bem e deixe ferver por 5-8 minutos com a panela tampada. Após esse tempo, experimente um pedaço do palmito para verificar se já está macio. Caso não esteja, deixe cozinhar um pouco mais. Quando estiver macio, salpique a farinha por cima e misture bem até estar totalmente dissolvida e envolvendo homogeneamente o palmito.

Coloque o requeijão ou creme de ricota e as azeitonas (se for usar) e misture mais uma vez, até que o recheio fique um creme mais firme. Prove e, se precisar, corrija o tempero com sal e a pimenta do reino. Desligue o fogo e reserve.

Retire a massa do forno e, quando o recheio já estiver mais frio, recheie-a. Abra o restante da massa sobre um pedaço de plástico e cubra a torta — faça alguns furinhos com o garfo para sair o vapor. Sempre aproveito os restinhos para fazer umas bolinhas para decorar a torta — segundo minha mãe, capricho excessivo.

Pincele a gema sobre toda a superfície da massa e retorne o empadão ao forno ainda em 180ºC por mais 15 minutos ou até dourar. Esta quantidade serve entre duas e três pessoas.

 

É aquariana, curiosa, jornalista e tem uma infinidade de interesses — entre eles, a culinária. Não é chef (nem pretende ser) mas a necessidade de morar sozinha a fez experimentar a alquimia das panelas e descobrir que o fogão não é um bicho de quatro bocas.

2 Comentários

  • marli zampol

    /

    Parece ser muito boa !!!!

  • Luciana Carpinelli

    /

    Fica uma delícia, tia Marli!
    A vó e o vô adoram 🙂

O que você achou? Tem alguma dúvida? Fez e quer comentar? Fique a vontade para escrever também.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Categorias

Arquivos



mytaste.com.br


@CozinhandoPara2ou1 no Instagram

%d blogueiros gostam disto: