Você está aqui:  / Doces, bolos e sobremesas / Torta de limão (sem bolacha e sem leite condensado)

Torta de limão (sem bolacha e sem leite condensado)

Torta de limão é minha sobremesa preferida, porque o azedinho do limão quebra um pouco o doce e fica aquela combinação maravilhosamente irresistível. O problema é que muitas vezes as pessoas exageram no leite condensado e acabam deixando a torta enjoativa.

Dia desses, colhemos o primeiro limão do limoeiro do quintal e ele foi o ponto de partida para esta receita. Acabei juntando o suco dele ao de um limão siciliano e um cravo, o que resultou em um sumo bem saboroso e equilibrado, não ácido demais.

Foi então que descartei de vez o leite condensado no recheio. Lembrei do Lemon curd e resolvi seguir nesse caminho.

Para finalizar, um delicioso merengue, com as claras delicadamente cozidas em banho-maria.

O resultado? Uma torta linda, deliciosa e fácil de fazer, apesar das três preparações diferentes (base, recheio é cobertura). E é óbvio que eu recomendo fortemente que você experimente também!

Torta de limão (sem bolacha e sem leite condensado)

Para a base:
1 e 1/2 xícara de farinha de trigo
1/3 de xícara de açúcar
100g. de manteiga bem gelada
2 claras de ovo

Para o recheio:
6 gemas
3 limões espremidos
1 xícara de açúcar
100g. de manteiga gelada
1/2 colher de chá de extrato de baunilha

Para o merengue:
4 claras
1 e 1/2 xícara de açúcar

Junte a farinha e o açúcar. Corte a manteiga em cubos não muito grandes e vá misturando com as pontas dos dedos até formar uma farofa grossa, com cuidado para não derreter demais a manteiga (é ela que vai deixar a massa crocante!).

Adicione as claras e amasse até formar uma massa lisa e bem macia. Faça uma bola, embrulhe com plástico filme e deixe na geladeira por pelo menos uns 30 minutos.

Passe as gemas por uma peneira em uma panela e adicione o caldo de limão, o açúcar e a baunilha. Misture bem com um fouet até ficar liso.

Leve a panela ao fogo baixo e, mexendo sempre, espere começar a engrossar. Se ficar gruminhos, você pode bater com o mixer ou liquidificador ou ainda passar pela peneira.

Acrescente a manteiga aos poucos, mexendo bem com o fouet para deixar o creme liso e brilhante. Cubra com plástico filme encostando na superfície do creme e leve para a geladeira por pelo menos 20 minutos antes de montar a torta.

Polvilhe com farinha de trigo uma superfície limpa, coloque a massa e polvilhe mais farinha sobre a massa para abri-la até formar um círculo uns 4 dedos maior que a assadeira.

Enrole a massa sobre o rolo e transfira para uma assadeira de 20-25cm. com fundo removível (isso facilita na hora de desenformar a torta). Cubra bem o fundo e a lateral dela e corte o excesso de massa, caso sobre. Use-os para fechar os possíveis buraquinhos.

Cubra a massa com papel manteiga, cubra o fundo da massa e preencha-o com grãos de feijão cru (isso evita que a massa inche enquanto assa). Leve ao forno preaquecido em 180°C, por cerca de 25 minutos (até dourar). Retire do forno e deixe esfriar antes de rechear.

Leve uma panela pequena com água ao fogo médio para o banho-maria.

Numa tigela de vidro ou alumínio, coloque as claras e o açúcar. Encaixe a tigela na panela e, com um fouet, vá batendo por uns 5 minutos, até ficar liso (não deixe a água encostar na base da tigela para não cozinhar as claras). O creme deve estar liso, levemente aquecido e sem grãozinhos de açúcar.

Coloque este creme na batedeira e bata bem até formar um merengue firme e brilhante. Reserve.

Com a base torta fria, espalhe o recheio, espalhando com uma colher ou espátula para que fique uniforme. Cubra com o merengue (em colheradas ou com uma manga de confeitar, formando picos).

Retorne a torta ao forno bem quente para dourar o merengue ou queime com um maçarico (se preferir, você pode servir a torta branquinha). Espere sua torta de limão esfriar antes de sirvir.

Eatas quantidades rendem entre 6 e 8 pedaços, dependendo do tamanho.

É aquariana, curiosa, jornalista e tem uma infinidade de interesses — entre eles, a culinária. Não é chef (nem pretende ser) mas a necessidade de morar sozinha a fez experimentar a alquimia das panelas e descobrir que o fogão não é um bicho de quatro bocas.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados ( obrigatório )

Categorias

Arquivos



mytaste.com.br


Acompanhe nosso instagram