Você está aqui:  / Congelados / Massas e molhos / Nhoque cozido da Vó Nair (sem batata)

Nhoque cozido da Vó Nair (sem batata)

No caderno de receitas da vó Nair que eu herdei, o nome desta receita está escrito, com a letra dela, assim: “Nhóc cosido”. Um nhoque feito com farinha de trigo e sem batata, como ela gostava de improvisar com apenas 4 ingredientes.

Em épocas incômodas como esta em que enfrentamos um vírus super arrasador nos trancando em casa, não tem nada melhor que uma comidinha reconfortante que nos abraça, não acha? Para mim, parece que a terapia de cozinhar e botar a mão na massa funcionou de novo para limpar a mente e a alma.

Aproveita o fim de semana para preparar um almoço especial. E já que estamos na função da cozinha, nada mais justo do que aproveitar e preparar um molho caseiro feito com tomates fresco e bastante manjericão da hortinha na varanda porque é assim que a vó gostava.

Que o amor e a felicidade nunca faltem e que a convivência à mesa seja sempre uma constante em nossas vidas — depois da quarentena! <3

Nhoque cozido da Vó Nair (sem batata)

2 xícaras de chá de farinha de trigo (mais um pouco para polvilhar)
2 xícaras de leite
1 colher de chá de manteiga
1 pitada de sal

Coloque o leite em uma panela grande, de preferência com fundo grosso, e junte o sal e a manteiga.

Leve ao fogo baixo e vá misturando com uma colher de pau até a manteiga começar a derreter. Aos poucos, vá despejando a farinha de trigo e mexendo bem até incorporar.

Continue cozinhando e mexendo a massa até o ponto de abrir.

Polvilhe um pouco de farinha de trigo em uma superfície plana e limpa e despeje a massa. Com a ajuda da colher de pau, vá batendo na massa e esticando ela para esfriar mais rápido.

Quando der para manipular a massa com as mãos, corte tiras, faça rolinhos com ela e corte os nhoques. Vá polvilhando farinha para que não grudem.

Após cortar todos os nhoques, deixe descansarem por 30 minutos. Enquanto isso, coloque uma panela grande com bastante água para ferver. Quando levantar fervura, junte 1 colher de sopa de sal e espere ferver novamente.

Em etapas, vá colocando os nhoque para cozinhar e retire-os da água quando subirem à superfície. Eu gosto de deixar uma travessa com um pouco de molho embaixo para ir colocando os nhoques cozidos, assim eles não grudam.

Repita até terminar os nhoques. Se quiser conservar por mais tempo, espalhe-os em uma assadeira (sem amontoar) e leve ao congelador. Quando estiverem congelados, coloque-os em potes ou sacos de plástico e mantenha no congelador por até 3 meses. Pode descongelar direto na água fervente.

Estas quantidades rendem entre 3 e 4 porções, dependendo da fome. 😉

É aquariana, curiosa, jornalista e tem uma infinidade de interesses — entre eles, a culinária. Não é chef (nem pretende ser) mas a necessidade de morar sozinha a fez experimentar a alquimia das panelas e descobrir que o fogão não é um bicho de quatro bocas.

1 Comentário

  • charlene

    /

    oi lucia gostei do site ,que delicia esse inhoque vou fazer p prova..

O que você achou? Tem alguma dúvida? Fez e quer comentar? Fique a vontade para escrever também.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Categorias

Arquivos



mytaste.com.br


@CozinhandoPara2ou1 no Instagram


%d blogueiros gostam disto: