Você está aqui:  / Massas e molhos / Segunda Sem Carne / Vegetariana / Nhoque de mandioquinha com creme de queijos e cogumelos

Nhoque de mandioquinha com creme de queijos e cogumelos

Este ano está sendo desafiador em todos os aspectos, principalmente para quem (como eu) continua respeitando o distanciamento social.

Já passei Natal e Ano Novo sozinha, longe da família — mas estava no meio da viagem da minha vida, descobrindo o mundo, totalmente outro clima.

No primeiro, comprei um jantar super especial dentro de uma gruta em Praga e foi simplesmente lindo e delicioso. A passagem para 2012 foi nas ruas de Viena, entre luzes, cores, champanhe e fogos de artifício que me encantaram.

Passar o domingo de Páscoa, uma data tão familiar, sozinha em casa, no meio dessa quarentena, com a companhia só das minhas plantinhas e das minhas músicas mais queridas, realmente foi uma experiência muito diferente das anteriores.

Para manter o clima positivo, resolvi ressignificar os rituais de família. Em vez do nhoque da vó Nair, dediquei toda minha atenção e amor para fazer um nhoque de mandioquinha com o que tinha em casa (usei farinha de grão de bico e ficou super leve e um tantinho mais proteico).

O molho eu comecei com uma base cremosa de castanhas e aveia batidas com água e finalizei com os restinhos de queijos da geladeira.

Para completar o prato, grelhei uns cogumelos bunapi (porque era os que eu tinha, poderiam ser quaisquer outros) e salpiquei salsa da horta bem picadinha por cima. Na hora de comer, mais um pouco de parmesão ralado porque queijo nunca é demais.

Sentei pra comer, agradecendo pela comida, pelo abrigo, pela família e pelos amigos que tenho e me lembrei que também tinha um vinho aberto à disposição. Acho que nem preciso dizer que, apesar da falta de companhia, o almoço foi especial.

Nhoque de mandioquinha com creme de queijos e cogumelos

Para o nhoque de mandioquinha:
300g. de mandioquinha (batata salsa, batata baroa)
1/3 xícara de farinha de grão de bico ou de trigo
Sal e pimenta do reino a vontade

Para o molho de queijos e cogumelos:
150g. de queijos ralados (usei parmesão e emental)
1/2 xícara de castanhas de caju
1/3 de xícara de aveia em flocos
1 xícara de água
1 pitada de noz moscada ralada na hora
150g. de cogumelos frescos (se forem grandes, fatiados)
Azeite, sal e pimenta do reino a vontade
Salsa fresca bem picadinha para servir (opcional)

Antes de qualquer coisa, coloque as castanhas e a aveia em uma tigela e cubra com água quente. Deixe repousar por pelo menos 15 minutos.

Embrulhe as mandioquinhas em alumínio, coloque em uma assadeira e leve ao forno preaquecido em 180°C por cerca de 20-25 minutos até ficarem bem macias.

Enquanto isso, escorra as castanhas e a aveia e coloque no liquidificador com a xícara de água. Bata bem até obter um creme homogêneo.

Desembale cada mandioquinha e, com elas ainda quentes, amasse-as com um garfo ou usando o espremedor de batata, formando um purê. Retire qualquer excesso de casca.

Aos poucos, vá acrescentando ao purê a farinha temperada com um pouquinho de sal e pimenta do reino até obter uma massa homogênea. Não adicione muito mais farinha para que o nhoque não fique pesado.

Enfarinhe uma superfície limpa, forme rolinhos com a massa e corte-os em pedaços iguais. Você pode deixar no formato do nhoque tradicional ou enrolar bolinhas, como preferir. Deixe descansar por uns 15 minutos sobre uma superfície enfarinhada para não grudar.

Coloque uma panela grande com água para ferver.

Aqueça o creme batido em uma panela. Quando começar a ferver, abaixe o fogo, coloque 1/3 dos queijos e misture bem até derreter. Vá repetindo com mais 1/3 e o terço restante, sempre misturando bem para que o molho fique homogêneo (se precisar, junte um pouquinho de água quente para deixar mais fluido). Tempere com a noz moscada e pimenta do reino. Prove e, se precisar, corrija o sal. Reserve aquecido.

Em uma frigideira antiaderente grande, coloque os cogumelos e regue com 3 colheres de sopa de água. Leve ao fogo alto e deixe cozinhar por cerca de 4 minutos até a água secar – evite mexer demais para que os cogumelos não liberem líquido. Assim que a água secar, regue com 1/2 colher de sopa de azeite, tempere com sal e pimenta e mexa de vez em quando até dourar, por cerca de 3 minutos.

Quando a água da panela estiver fervendo, coloque 1 colher de sopa de sal e vá colocando o nhoque para cozinhar, aos poucos. Quando eles subirem para a superfície, marque mais uns 2 minutos e depois retire-os com uma escumadeira ou peneira. Escorra bem.

Sirva o nhoque de mandioquinha com creme de queijos e cogumelos refogados por cima.

Esta quantidade, sem acompanhamentos, serve muito bem uma pessoa ou então duas pessoas com alguma carne ou legumes ou uma salada para acompanhar.

É aquariana, curiosa, jornalista e tem uma infinidade de interesses — entre eles, a culinária. Não é chef (nem pretende ser) mas a necessidade de morar sozinha a fez experimentar a alquimia das panelas e descobrir que o fogão não é um bicho de quatro bocas.

O que você achou? Tem alguma dúvida? Fez e quer comentar? Fique a vontade para escrever também.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Categorias

Arquivos



mytaste.com.br


@CozinhandoPara2ou1 no Instagram

%d blogueiros gostam disto: