Você está aqui:  / Entradas e petiscos / Segunda Sem Carne / Sem glúten / Sem lactose / Sopas, cremes e caldos / Vegana / Vegetais / Vegetariana / Sopa creme de batatas com alho poró (Vichyssoise — quente ou fria)

Sopa creme de batatas com alho poró (Vichyssoise — quente ou fria)

Vichyssoise_CozinhandoPara2ou1

Alguns paradigmas realmente me revoltam, e um dos que mais me provocam esse sentimento é a ideia de que cozinhar é muito difícil ou complicado. Não é. Definitivamente.

Pode ser que você não saiba cozinhar. Pode ser que você nunca tenha tentado. Pode ser que você tenha feito arroz papa, pode ser que você tenha queimado o ovo frito, pode ser que você tenha cozinhado demais o macarrão. Pode ser que você não conheça os conceitos mais simples. Mas é muito fácil aprender os principais truques para preparar bem o básico e não errar mais. Basta ter um mínimo de disposição e abertura que qualquer um — e eu repito: qualquer um! — consegue fazer um almocinho ou jantar gostoso.

Ok, dito isso, vamos ao ponto que me revoltou. Na semana passada fui finalmente fazer os exames para tentar descobrir o que está me fazendo mal e, no preparo para um dos procedimentos, indicaram que eu jantasse um miojo feito com o temperinho e batido no liquidificador antes do jejum de 8 horas. Eu super entendo que muitas pessoas não sabem cozinhar, sei que macarrão instantâneo é fácil de fazer e que é uma opção barata e acessível. Mas gente, só eu acho um ABSURDO que isso seja recomendado por um consultório médico?

Estou fazendo um exame exatamente para identificar o que tem me feito passar mal e me indicam consumir justamente uma bomba de glutamato monossódico, condimentos artificiais, corantes, aromatizantes, realçadores de sabor e estabilizantes, sem contar na quantidade absurda de gordura e de sódio por pacote?

Não sei o que você pensa sobre isso, mas eu me nego completamente a fazer o preparo para exame médico dessa forma. A alternativa ao macarrão instantâneo industrializado, falado e reforçado pela atendente que explicou todo o processo, era purê ou sopa de batatas, escrito em letrinhas minúsculas bem no fim da página que quase ninguém lê (e, convenhamos, não são assim tão mais caros ou super complexos de fazer, né?). Por isso, eu resolvi preparar um creme de batatas caprichado feito sem nenhum aditivo químico, com tudo 100% vindo da natureza, que ficou pronto em pouco mais de 20 minutos. Muuuito mais gostoso e muitíssimo mais saudável que a primeira opção.

Agora eu pergunto: qual é a sua opinião sobre este assunto? O que acha de procedimentos médicos sugerirem esse tipo de produto alimentício (nem de longe é alimento!) que provoca tantos malefícios para o nosso organismo justamente quando estamos buscando o que nos causa problemas de saúde?

Sopa creme de batatas com alho poró (Vichyssoise — quente ou fria)

2 batatas médias (cerca de 400g.)
1 colher de sopa de manteiga ou de azeite
1/2 talo de alho poró fatiado (apenas a parte branca)
1/2 cebola em rodelas
1 litro de caldo de galinha preferencialmente caseiro (clique AQUI para acessar a receita completa) ou água
1/2 a 1 xícara de creme de leite (preferencialmente fresco — eu usei o creme de arroz pois não podia consumir lácteos)
1 pitada de noz moscada ralada na hora
Sal e pimenta do reino a vontade
Ceboulette picadinha para servir

Corte o alho poró e a cebola em fatas bem fininhas. Aqueça uma panela e derreta a manteiga ou aqueça o azeite para fazer o refogado sem dourar. Adicione a batata, mexa e espere refogar por mais uns 3 minutinhos.

Acrescente o caldo ou a água e deixe ferver com a panela semi tampada até a batata ficar macia (cerca de 10 a 15 minutos, dependendo do tamanho dos pedaços de batata).

Coloque o cozido no liquidificador com o creme de leite (eu sugiro colocar 1/2 xícara e, caso queira, adicionar mais depois). Bata para obter um creme homogêneo e retorne-o à panela.

Misture, prove e tempere com sal, pimenta do reino e a noz moscada. Se quiser, acrescente mais creme de leite ou deixe engrossar um pouco mais.

ComoFazerVichyssoise_CozinhandoPara2ou1

Para servir quente, coloque a sopa diretamente no prato ou cumbuca e salpique a ceboulette picada por cima. Eu coloquei uns fios de azeite também.

Para servir fria, espere esfriar e deixe gelar na geladeira por umas 2 horas (lembre-se de que ela naturalmente engrossará, por isso não deixe o creme muito firme). Sirva também com a ceboulette e um fio de azeite.

Esta quantidade rende entre 3 e 4 pratos, suficientes para duas pessoas como uma refeição leve. Não é recomendado congelar.

É aquariana, curiosa, jornalista e tem uma infinidade de interesses — entre eles, a culinária. Não é chef (nem pretende ser) mas a necessidade de morar sozinha a fez experimentar a alquimia das panelas e descobrir que o fogão não é um bicho de quatro bocas.

11 Comentários

  • Ana Cláudia

    /

    Não é só você que acha um absurdo um médico indicar miojo. Falta senso crítico à maioria das pessoas. Adoro seu blog. Passo aqui praticamente todo dia. Obrigada! 🙂

  • Marlene

    /

    Eu acho qque absurdo é esse miojo não ser vendido como VENENO e não me conformo que esse lixo seja indicado por médicos antes de exames!!!! Isso é um crime e deve de ser denunciado no CRM!!!! Concordo totalmente com vc que cozinhar não é difícil e fez mto bem em preferir essa sopa que está linda e parece mto deliciosa. Eu não faria esse preparo com meus filhos nunca!!!!
    Melhoras Luciana e continue defendendo alimentação saudável e compartilhando delícias. Abs Marlene Sousa

  • Luciana Carpinelli

    /

    Ana, obrigada pelo carinho. Volta sempre mesmo que eu adoro <3
    E fico feliz por não ser a única a me revoltar com essa situação. Ainda há tanto a evoluir nessa luta pela alimentação saudável...
    Beijo (e eu que agradeço a sua companhia aqui) 🙂

  • Luciana Carpinelli

    /

    É bem triste mesmo, e o pior é que tem muita gente que poderia evitar esse tipo de produto mas continua insistindo nisso como alimentação para as crianças.
    Mas vamos pouco a pouco divulgando outras formas de se alimentar, com comida de verdade, gostosa mesmo sem aditivos químicos e saborizadores artificiais.
    Abraço, Marlene. E volte sempre por aqui 🙂

  • P.

    /

    Chega a ser patético em um país que muitos não tem o que comer você sugerir uma alternativa caríssima como essa sopa francesa com alho poró em substituição ao macarrão instantâneo. Muitas famílias só não morrem de fome e inanição porque tem acesso a essa bomba de glutamato monossódico, condimentos artificiais, corantes, aromatizantes, realçadores de sabor e estabilizantes, sem contar na quantidade absurda de gordura e de sódio por pacote! Faz falta refletir sobre a realidade antes de ficar espalhando criticas sobre quem não faz parte da sua bolha, não seja ridícula.

  • Luciana Carpinelli

    /

    Querido ou querida P., primeiramente agradeço pelo seu comentário (significa que você esteve aqui, leu o que postei e resolveu se manifestar, e isso realmente é importante para mim).

    Em nenhum momento eu critiquei quem tem o macarrão instantâneo como alternativa à fome. Por favor releia o texto e veja que a minha indignação foi provocada pelo fato de um produto com tantas possibilidades de provocar problemas ser indicada por um consultório médico no preparo de um exame justamente para investigar questões de saúde. Isso sim me revolta.

    Ao reler o que escrevi, você também vai entender que não sugeri esta sopa como substituição ao miojo. Foi indicada uma sopa de batatas e eu resolvi preparar a MINHA versão, do jeito que EU prefiro. O que eu disse é que, se você pensar bem, tanto o purê de batatas quanto a sopa simples de batata, sugeridas como alternativa, são bem acessíveis (tanto em questão de preço quanto de preparo).

    Só por curiosidade, resolvi calcular o valor total desta receita “caríssima” para ter uma ideia de quão patética foi a minha sugestão. Tomei como base os preços de hoje do Pão de Açúcar online, com todos os legumes já higienizados, porcionados e embalados, que são também mais caros que os in natura. Vamos lá:
    Alho poró = R$ 4,15 (com 7 talos)
    Batata = R$ 9,29 (1 kg.)
    Cebola = R$ 6,35 (1 kg.)
    Creme de leite = R$ 2,50 (1 caixinha — o fresco estava indisponível, infelizmente)
    Cebolinha francesa = R$ 6,79 (1 pratinho cheio)
    Noz moscada = R$ 5,01 (pacote com 3 sementes)

    Calculando mais ou menos as quantidades necessárias e arredondando tudo para mais, não chegaríamos a gastar R$ 10 para o preparo dos 4 pratos desta Vichyssoise (que é uma receita criada nos EUA e não francesa, como você disse). Ou seja, mesmo comprando os ingredientes em um dos supermercados mais caros do Brasil, o total para esta refeição seria de R$ 8,11, ou mais precisamente R$ 4,06 por pessoa, ou ainda praticamente o dobro do preço de um miojo.

    Posso estar falando de dentro da minha bolha ridícula, mas não acho que esse valor seja assim tão alto para uma refeição saudável, nutritiva e realmente deliciosa. Ou seja, precisamos desconstruir muito mais paradigmas do que a gente pode imaginar — espero ter contribuído com mais este. 😉

    Grande abraço e volte sempre! (mesmo)

  • Kelly

    /

    Fiz ontem na janta e todos adoraram, muito simples de preparar e fica muito gostosa.

  • Marcia

    /

    Acho que esse médico tá doido. Vou na feirinha aqui de casa e com vinte reais encho a geladeira de legumes e verduras

  • Luciana Carpinelli

    /

    Pois é, Marcia. E vamos sendo felizes e saudáveis da forma que preferimos! 🙂

  • paula

    /

    LU, tudo bem? O creme de arroz ‘e aquele de caixinha? Ja vi no mercado mas nunca comprei. Nem sabia que poderia substituir o creme de leite!!! Seu blog ‘e uma deliciaaaaaa!!! Parabens e vida longa pra vcs!!

  • Luciana Carpinelli

    /

    Paula, é esse mesmo!
    Ele serve para substituir o creme de leite, fica bem próximo do resultado com o ingrediente original.
    Beijo e volte sempre.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados ( obrigatório )

2 × um =

Categorias

Arquivos



mytaste.com.br


Acompanhe nosso instagram